Trabalho, missão e qualidade de vida

O que é qualidade de vida no trabalho

O conceito de qualidade de vida no trabalho não se resume somente em bons salários ou benefícios oferecidos por algumas empresas, ela se relaciona tambem com a satisfação de um funcionário em desenvolver sua carreira e vida pessoal através do ambiente profissional.

Essa satisfação é otimizada por meio da compreensão das necessidades de cada colaborador, criação de oportunidades proeminentes ao desenvolvimento de carreira e o fornecimento das ferramentas apropriadas para que isso seja alcançado igualmente.

É sempre importante destacar que a qualidade de vida nas empresas é diretamente proporcional ao desempenho dos funcionários. Ou seja, se a sua equipe está satisfeita e motivada com os processos de trabalho adotados, com certeza alcançará rapidamente a alta produtividade.

Por isso, devemos compreender que todos os indivíduos possuem sentimentos e emoções que ultrapassam os limites organizacionais. Uma pessoa não vive apenas para satisfazer suas necessidades básicas, como alimentação e saúde.

 

Então qualidade de vida no trabalho, pode ser conceituado como:

Todo esforço que é realizado por parte da organização para colaborar com que funcionários a alcançarem o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, facilitando o aumento da satisfação individual. É uma forma de pensar inteiramente nos três pilares corporativos: pessoas, trabalho e os processos empresariais.

E a área de Recursos Humanos desempenha um papel fundamental na manutenção da qualidade de vida profissional. Além das atividades de recrutamento e treinamento de pessoal, o RH também necessita garantir um bom clima organizacional e que todos os colaboradores tenham suas necessidades satisfeitas.

Benefícios da qualidade de vida nas empresas

Empresas que empregam como objetivo o investimento na qualidade de vida do trabalhador otimizam seus resultados de forma mais rápida e eficiente. Mas além, da melhoria da produtividade dos colaboradores, esta técnica promove outros inúmeros benefícios:

 

​Redução da rotatividade de profissionais

A rotatividade de pessoal é um termo utilizado pelo RH na avaliação da taxa mediana entre admissões e demissões em determinada empresa. A ampliação deste número pode representar um problema organizacional, refletindo em situações de insegurança.

Entre os principais custos do aumento da rotatividade, destacamos:

  • Primários:pertinentes aos custos com demissões e substituições dos colaboradores;
  • Secundários:aspectos intangíveis que atentam queda da produtividade e motivação;
  • Terciários:são sentidos a médio e longo prazo, como a diminuição da qualidade dos produtos, refletindo assim na imagem da empresa.

Empresas que se atentam com o bem-estar dos funcionários, consequentemente apresentarão menos índices de rotatividade, já que a falta dessa característica é um dos principais motivos para os pedidos de demissão.

 

Fixação de talentos

A fixação de talentos é uma consequência direta da redução da rotatividade de colaboradores e investimento em qualidade de vida no trabalho. A valorização dos funcionários que já estão dentro da empresa é extremamente positiva para reduzir custos, garantindo que os processos sejam realizados por pessoas experientes e alinhadas aos objetivos organizacionais.

Em uma consultoria em um Petshop, conheci um colaborador que o sonho dele era aprender como treinar seu cachorro. Ele ficou tão bom nisso que o Petshop o contratou e um ano depois foi identificado como o colaborador que mais amava o que fazia. Então amar o próprio trabalho e ter conhecimento técnico, são um dos valores que mais implica quando o fator é redução de rotatividade.

Fornecer condições para que todos os funcionários se sintam saudáveis e satisfeitos no trabalho necessita incluir fatores que ultrapassem o âmbito financeiro dos benefícios e salário, compreendendo mais aspectos da saúde e qualidade de vida no trabalho.​Melhoria da saúde dos colaboradores

​ Isso elimina o um mal muito conhecido nas empresas o absenteísmo, “presenteísmo” (trabalhar com a cabeça em outro lugar), desmotivação, doenças, afastamentos e conflitos interpessoais.

Melhoria do clima organizacional

E quando juntamos todos esses fatores, incentivamos para temos um clima organizacional mais leve e agradável. Tal efeito ajuda na melhoria das relações interpessoais, comunicação interna, redução dos conflitos e aumento da confiança entre as equipes.

Elevação dos resultados

Então todos esses benefícios da qualidade de vida impactam diretamente nos resultados da empresa, sendo que o trabalhador otimiza sua produtividade e desempenho. Esse investimento é como um círculo virtuoso: funcionários satisfeitos produzirão mais e com maior qualidade, e a organização aumentará sua rentabilidade.

Problemas ocultos em uma gestão de pessoas ultrapassada

Vivemos em um período que reinventar se tornou uma condição básica para a sobrevivência de qualquer negócio. O perfil de consumo e o padrão de vida das pessoas estão mudando rapidamente, exigindo que as empresas apresentem produtos cada vez mais exclusivos.

Mas essa preocupação em mudar não deve ser realizada apenas com o público externo, mas também os internos ainda precisam ser priorizados. Por isso que uma gestão de pessoas ultrapassada , acaba fazendo com que reduza a motivação e desempenho dos colaboradores rapidamente.

A teoria e a prática têm que caminhar juntos  

Se você for participar de um processo seletivo em uma empresa que assegura investimentos em qualidade de vida no trabalho, planos de carreira e orientação profissional, com certeza você vai ficar animado com a oportunidade e irá se esforçar para conseguir a vaga.

No entanto, no início do trabalho você se descobre uma gestão de pessoas extremamente tradicional e engessada. Quais seriam as consequências? Um aumento da pressão, frustração, redução da motivação e necessidade de “jogar tudo para o alto”.

Não adianta fazer reuniões e mais reuniões, mas não praticar os aspectos prometidos em prática. Por isso, busque inserir tais características de modo que os colaboradores sintam que elas estão presentes em sua rotina. Assim, toda a equipe passará a atuar de maneira engajada e empenhada com suas atividades.

Práticas que usamos e recomendamos

Temos que usar boas práticas que estimulam a melhoria da qualidade de vida dos nossos funcionários. Tudo isso de forma rápida, prática e sem precisar gastar muito. Mas como? Com a prática das seguintes técnicas:

1 Autogestão

A autogestão nada mais é do que colocar o colaborador no centro de seu desenvolvimento profissional. Ele observa quais aspectos precisa melhorar, fazendo isso de forma espontânea e sem a intervenção direta dos gestores.

Essa técnica melhora a autonomia, incentiva o aprimoramento individual e o oferecimento de ideias que podem inovar determinado processo. Dessa modelo, os gestores conseguem se concentrar em outras demandas – claro, sem esquecer de acompanhar o crescimento da equipe.

2 Acompanhamento dos indicadores de desempenho

E não conseguimos acompanhar, tais práticas sem um acompanhamento detalhado dos desempenhos de cada funcionário. Fazemos uma comparação entre o desempenho da equipe antes e depois da implementação das técnicas, e a surpresa fica cada dia mais positiva.

Além disso, também é importante que o gestor observe o modo como gerencia seus colaboradores e faça uma reflexão sobre quais práticas podem ser melhoradas ou excluídas.

3 Gamificação

Gamificação é o uso dos elementos dos games como recursos para motivar e engajar as equipes. Já comprovamos que esses aspectos promovem um grande impacto no aumento da motivação, engajamento e desempenho dos colaboradores. Eles se sentem mais envolvidos em suas atividades para alcançarem os prêmios ou simplesmente uma melhor colocação no ranking.

Muitas organizações se perguntam como ter qualidade de vida no trabalho, mas se esquecem que todas essas estratégias também necessitam ser pautadas em incentivos à hábitos individuais dos colaboradores

Pressupostos da PNL

PRESSUPOSTOS DA PNL

1- O mapa não é o território

Não sabemos o que é realidade. Nossos sentidos, nossas crenças e nossa experiência passada nos dão um mapa do mundo a partir do qual podemos operar, mas um mapa jamais pode ser inteiramente preciso, caso contrário, seria igual ao terreno que abrange. Desconhecemos o território, então, nosso mapa pessoal é o território. Alguns mapas pessoais são melhores do que outros para nos orientarmos pelo caminho. Mas, nenhum dos mapas pessoais são 100% compatíveis com a “suposta” realidade.

2- Ter uma escolha ou opção é melhor do que não ter nenhuma

Procure ter um mapa que lhe dê um maior número de escolhas possíveis.   Aja sempre de forma a aumentar as suas escolhas. Quanto mais escolhas tiver, mais livre estará e mais influência terá.

3- As pessoas fazem a melhor escolha que podem no momento

Uma pessoa sempre faz o melhor que pode em cada momento, dado seus mapas do mundo. A escolha pode até ser auto-derrotadora, bizarra ou má, mas, para ela, naquele momento, parece ser o melhor caminho a seguir. Ofereça-lhe uma escolha melhor e a adotará. Melhor ainda, dê a ela um mapa melhor com mais opções.

 

4- As pessoas funcionam perfeitamente.

Estamos todos executando nossas estratégias com perfeição, porém as estratégias podem ser ineficazes ou mal projetadas. Observe como você e outras pessoas funcionam, para que uma estratégia possa ser ressignificada para algo mais útil e desejável.
5- Todas as ações têm um propósito.

Nossas ações nunca são aleatórias; sempre estamos tentando realizar algo, embora muitas vezes não temos consciência do que estamos tentando fazer.

6- Todo comportamento possui uma ação positiva.

As nossas ações, todas elas,  têm pelo menos um propósito – realizar algo que valorizamos e que nos beneficie. A PNL olha para a intenção por trás de uma ação, da ação em si. Uma pessoa não é o seu comportamento. Ela tem um comportamento. Quando uma pessoa tem uma melhor escolha de comportamento que também realize sua intenção positiva, a seguirá.

7- A mente inconsciente contrabalança a consciente; ela não é maliciosa.

O inconsciente é tudo aquilo que não está no consciente no momento presente. Contém todos os recursos de que necessitamos para viver em equilíbrio.

8- O significado da comunicação não é simplesmente aquilo que você pretende, mas também a resposta que obtém.

Essa resposta pode ser diferente da resposta que você queria, mas não há falhas de comunicação, apenas respostas e feddback. Se não estiver obtendo o resultado que deseja, mude o que está fazendo. Assuma a responsabilidade pela comunicação.

9- Já temos todos os recursos de que necessitamos ou então podemos criá-los.

Não existem pessoas desprovidas de recursos, apenas estados mentais desprovidos de recursos.

10- Mente e corpo formam um sistema. São expressões diferentes da mesma pessoa.


Mente e corpo interagem e se influenciam mutuamente. Não é possível realizar uma mudança em um sem que o outro seja afetado. Quando pensamos de forma diferente, nossos corpos mudam. Quando agimos de forma diferente, modificamos nossos pensamentos e sentimentos.

11- Processamos todas as informações através de nossos sentidos

O desenvolvimento de seus sentidos para que se tornem mais aguçados lhe dá melhores informações e o ajuda a pensar de forma mais clara.
12- Modelar desempenho bem-sucedido leva a perfeição

Se uma pessoa pode fazer alguma coisa, é possível modelá-la e ensiná-la à outros. Assim, todos podem aprender a obter resultados melhores de sua própria maneira. Você não se torna um clone da pessoa que está modelando – você aprende com ela.

13- Se quiser compreender, aja.

Não adianta nada, por exemplo, uma pessoa pesquisar, dicas para melhorar a autoestima, todas as vezes que se sente com a autoestima baixa, mas não fazer nada depois. É preciso identificar os padrões que precisam ser mudados e fazer o que for preciso para isso. Mas, acima de tudo, ter ação. 

 

PNL: O que é?

O que é Programação Neuro Linguística?

Programação – se refere a todas e quaisquer tipo de programações (genética, ambiental, pessoal)

Neuro, está relacionado ao cérebro (há caminhos neurais que constroem as realidades internas)

Lingüística, refente a toda e qualquer tipo de comunicação (verbal ou não verbal, intrapessoal ou interpessoal)

Resultado de imagem para programação neurolinguistica

 PNL é:

– É A INFLUÊNCIA DA LINGUAGEM SOBRE NOSSAS MENTES E NOSSOS COMPORTAMENTOS SUBSEQUENTES.

– ARTE E TÉCNICA DA BUSCA DA EXCELÊNCIA HUMANA

– O ESTUDO DE COMO A LINGUAGEM AFETA NOSSO SISTEMA NERVOSO

– É O MANUAL DE OPERAÇÕES DE NOSSA MENTE

Vamos conhecer um pouco da História da PNL?

Nos anos 70, na Califórnia – EUA,  dois pesquisadores – Richard Bandler  (matemático, perito em informática, estudante de psicologia e terapeuta gestáltico) e John Grinder (PhD em Linguística, poliglota, colaborador do Serviço Secreto Americano) – se uniram com o objetivo de descobrir qual a estrutura que havia por trás da excelência das pessoas, dando início assim aos estudos da PNL, na Universidade de Santa Cruz – Califórnia.

 

Resultado de imagem para john grinder

 

Uma das primeiras coisas que eles fizeram, foi estudar como que terapeutas famosos daquela época, tinham trabalhos tão efetivos.

Eles analisaram padrões internos e externos de Milton Erickson, um médico hipnólogo, Virginia Satir, famosa terapeuta familiar e Fritz Perls, o pai da gestaltterapia.

Bandler e Grinder começaram a observar e modelar estes terapeutas. Os padrões modelados eram tanto na linguagem corporal ou não -verbal, quanto na linguagem falada ou seja, verbal.  A ideia era desenvolver uma técnica para que os padrões de qualidade pudessem ser replicados.

Ou seja, eles imaginaram que se um terapeuta como Milton Erickson por exemplo,  podia fazer algo maravilhoso com uma determinada técnica, então era só observar como ele fazia e “modelar”. Modelar não é fazer igual. Mas eles observavam exatamente o que eles faziam e criavam um tipo de passo a passo para que outras pessoas pudessem fazer também.

E eles estavam certo. Eles pensavam que se alguém pode fazer algo, em qualquer lugar do mundo, então outras pessoas também podem fazer e obter o mesmo resultado.

Depois isso ampliado para outros contextos, como negócios, artes, música, esportes etc. Observando pessoas de sucesso, buscando sempre encontrar quais os padrões que faziam a diferença nos resultados destas pessoas, e modelando esses padrões .

Onde podemos usar a PNL – Programação Neuro Linguística

  • Comunicação;
  • Vendas;
  • Auto-estima;
  • Motivação;
  • Aprendizagem;
  • Cura de Fobias;
  • Ressignificação;
  • Liderança;
  • Coaching;
  • Mudança de comportamento;
  • Dentre outros

OS PILARES DA Programação Neuro Linguística

  1. VOCÊ – seu estado emocional e nível de habilidade
  2. AS PRESSUPOSIÇÕES – os princípios da PNL
  3. RAPPORT – a habilidade para criar uma ligação de sintonia e empatia com outra pessoa
  4. RESULTADO – saber o que se quer, ter objetivo
  5. FEEDBACK – como saber que está conseguindo o que quer
  6. FLEXIBILIDADE – se o que está fazendo não estiver como o desejado, faça algo diferente

A PNL nos permite compreender o nosso funcionamento interno, identificar nossos padrões, nossos modelos mentais, para que possamos refletir sobre eles, questioná-los, e se necessário, ressignificá-los. Por exemplo, uma pessoa que deseja aprender como parar de fumar, pode observar alguém que já conseguiu fazer isso e modelar o que essa pessoas fez, com o objetivo de obter o mesmo resultado.

“A forma como nós pensamos afeta o nosso corpo, e como nós usamos os nossos corpos, afeta a forma como pensamos.” John Grinder